Logo HMC
Notícias

Coronavírus: orientações gerais para a COVID-19

O que é Coronavírus?

Os coronavírus são uma grande família viral que causam infecções respiratórias. Em geral, as doenças respiratórias causadas por esses vírus são leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. 

Já o novo coronavírus descoberto recentemente, denominado Sars-Cov-2, pode causar desde infecções respiratórias leves até casos mais graves, como a doença chamada COVID-19.

Transmissão

A transmissão do vírus ocorre de pessoa-a-pessoa, principalmente por meio de gotículas respiratórias. 

Uma pessoa que estiver com as mãos contaminadas tocas as mucosas da boca, nariz ou olhos, também pode se infectar com o coronavírus.

Por isso, é importante evitar contato físico, como aperto de mãos, e limpar com frequência objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos e teclados de computador, por exemplo.

Em média, o período de incubação do vírus, ou seja, o tempo até a manifestação dos sintomas, é de 5 a 6 dias, mas pode variar de 0 a 14 dias. 

Sintomas

Os sintomas mais comuns são:

  • Febre persistente acima de 37,8°C;
  • Tosse;
  • Dificuldade para respirar;
  • Dor muscular e fadiga;
  • Outros sintomas gripais.

Em caso de suspeita, a orientação do Ministério da Saúde é que o paciente fique em casa por 14 dias e procure um hospital apenas se o problema se agravar. Além disso, também é recomendado o isolamento domiciliar por 14 dias para os demais moradores da residência.

Nesse período de isolamento, o paciente com suspeita deve ficar atento à evolução do quadro e se houver febre alta persistente e tosse com desconforto respiratório, é preciso procurar atendimento médico. 

Pessoas com mais de 60 anos, pessoas com doenças crônicas e doenças cardiovasculares devem ter cuidado redobrado.

Orientações de alta para pacientes com suspeita ou confirmação de infecção por COVID-19

  1. Tome bastante líquido (água, sucos e chás) e faça repouso;
  2. Mantenha uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras e cereais;
  3. Permaneça em casa no período determinado pelo médico, observando as medidas de isolamento domiciliar; 
  4. Retorne ao Hospital imediatamente caso apresente algum dos seguintes sintomas:
  • Febre persistente (acima de 03 dias) ou retorno da febre após 2 dias sem o sintoma;
  • Dificuldade para respirar;
  • Respiração mais acelerada e curta que o habitual;
  • Vômitos sem melhora;
  • Fraqueza extrema;
  • Mudança súbita no comportamento (confusão, desorientação, sonolência excessiva ou irritabilidade).

Em caso de dúvidas, ligue para (41) 3350-9000 (atendimento da Secretaria Municipal de Saúde) das 8h às 23h.

Orientações para paciente em isolamento domiciliar

  1. Sempre que possível, permanecer em quarto exclusivo e restrito do domicílio (preferencialmente com banheiro exclusivo), com a porta fechada. Em caso de banheiro compartilhado, higienizar o sanitário após cada uso, lavando as mãos após a limpeza. Caso a residência não possua mais de um quarto, o familiar saudável deve dormir em outro ambiente.
  2. Evitar contato direto com os outros moradores, procurando manter distância mínima de dois metros. Caso o contato seja necessário, o paciente deve estar com máscara cirúrgica e evitar que seja prolongado (acima de 15 minutos de contato).
  3. Manter objetos e utensílios de alimentação (copos, pratos e talheres) e de higienização (toalhas) exclusivos para o paciente em isolamento domiciliar. Utilizar máscara cirúrgica se precisar cozinhar; 
  4. Qualquer material (lenços, papel higiênico, máscaras etc.) que tenham sido utilizados para a limpeza das secreções deve ser depositado em lixeira exclusiva instalada no local de isolamento. Este lixo deve ser retirado diariamente e desprezado juntamente com o lixo do banheiro.
  5. Manter todos os ambientes ventilados, com janelas abertas sempre que possível, principalmente no quarto do paciente em isolamento.
  6. Ao tossir ou espirrar, fazê-lo na dobra do cotovelo ou dentro da camisa ou utilizar um lenço descartável para cobrir a boca ou nariz. É fundamental evitar tossir ou espirrar nas mãos. Sempre higienizar as mãos com água e sabonete (se possível utilize toalhas descartáveis para secar as mãos após a lavagem) ou álcool gel a 70% após tossir ou espirrar. 
  7. Realizar a higienização frequente das mãos: lavar as mãos com água e sabão, friccionando bem os espaços entre os dedos (especialmente se estiverem visivelmente sujas) ou friccionar com álcool 70% e, neste caso, não secar as mãos.
  8. A higienização das mãos deve ocorrer sempre que tossir, assoar o nariz, espirrar, tocar o rosto ou partes do corpo mesmo em cima de roupas, se alimentar, usar o banheiro, tocar em objetos, mobiliário, portas e janelas, interruptores de energia elétrica, entre outros. Não se recomenda utilizar luvas para proteção em casa pois a higienização das mãos é mais efetiva contra a contaminação. 
  9. Procurar higienizar os ambientes e mobiliários constantemente (lembrar das maçanetas das portas), principalmente banheiros e cozinha. O paciente isolado deve frequentar esses ambientes o mínimo possível. Utilizar 1 parte de alvejante (água sanitária) para 99 partes de água.
  10. O paciente em isolamento deve evitar tocar e beijar animais de estimação. 
  11. O paciente não deve receber visitas, exceto casos de extrema necessidade.
  12. Todas as pessoas que convivem com o paciente em isolamento que apresentem sintomas de FEBRE (mesmo que não medida) ou SINTOMAS RESPIRATÓRIOS (tosse, falta de ar, coriza, dor de garganta), são considerados casos suspeitos e deverão iniciar o seu próprio isolamento por 14 dias, a partir do início dos sintomas. Somente deverão procurar o Hospital em caso de dificuldade para respirar, febre alta persistente ou pacientes de maior risco (idade acima de 60 anos, portadores de doenças pulmonares, diabetes, cardiopatias, hipertensão arterial ou portadores de doenças reumatológicas, renais, imunológicas, câncer e pacientes transplantados).
  13. Roupas com fluidos corporais (fezes, urina, sangue, secreções, vômitos) não devem ser armazenadas – devem ser lavadas imediatamente e não enviadas para lavanderia externa. O paciente isolado deve trocar sua própria roupa de cama, sempre que possível.
  14. Sobras de comida/bebida do paciente isolado devem ser descartadas.
  15. Respeitar o tempo de quarentena prescrito pelo médico, mesmo se não apresentar mais sintomas.
  16. Residências que possuírem ar condicionado devem manter limpos os componentes do sistema de climatização (bandejas, serpentinas, umidificadores, ventiladores e dutos) de forma a evitar a difusão ou multiplicação de agentes nocivos à saúde humana, assim como manter a qualidade interna do ar.
  17. Sair de casa apenas em situações de extrema necessidade e emergência. Neste caso, sempre colocar máscara cirúrgica durante todo o período que estiver fora de casa.
  18. Em caso de necessidade de aquisição de insumos (medicamentos ou alimentos) fazer preferencialmente o pedido por via remota e receber o entregador com as mãos limpas e utilizando máscara. Pode-se combinar a entrega do insumo em frente à porta e somente pegar quando o entregador tiver se ausentado.
  19. Em relação ao uso de máscaras:
  • Utilizar somente se tiver contato com outros moradores ou caso necessite sair do domicílio por motivos imprescindíveis;
  • Higienize as mãos com água e sabão ou álcool 70% em gel antes de colocar a máscara;
  • Coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e o nariz, para minimizar as lacunas entre o rosto e a máscara; 
  • Enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la; 
  • Remova a máscara usando técnica apropriada (ou seja, não toque na frente, mas remova o laço ou nó da parte posterior ou pelos elásticos); 
  • Após a remoção, ou sempre que tocar em uma máscara usada, higienize as mãos com água e sabão ou álcool gel;
  • Substitua a máscara por uma nova máscara limpa e seca assim que estiver úmida ou danificada; 
  • Não reutilize máscaras descartáveis;
  • Descarte em lixeiras fechadas as máscaras após cada uso.

O Hospital Marcelino Champagnat está atendendo de acordo com as orientações da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba com relação à prevenção e tratamento dos pacientes com suspeita de infecção do novo coronavírus. Para saber mais e se manter atualizado, acompanhe as notícias no nosso site.