Logo HMC
Saúde e bem estar

O tratamento da obesidade e a cirurgia bariátrica

A obesidade é uma doença crônica que pode estar associada a outras condições e prejudica tanto a saúde quanto a qualidade de vida do paciente. Por isso, o tratamento deve incluir uma mudança no estilo de vida para que a perda de peso aconteça de forma saudável e duradoura.

A cirurgia bariátrica é um dos tratamentos mais conhecidos para a obesidade, mas deve ser recomendada e acompanhada por uma equipe médica, aliada à reeducação alimentar e realização de atividades físicas. Além disso, é preciso levar em consideração outros problemas de saúde ligados à obesidade antes da realização da cirurgia.

Para um tratamento bem-sucedido, também é fundamental que o paciente tenha força de vontade e determinação para mudar seus hábitos. Nesse sentido, o acompanhamento psicológico contribui para o gerenciamento das emoções que irão ajudar no emagrecimento.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), a obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal no indivíduo. Para a realização do diagnóstico, é calculado o índice de massa corporal (IMC) como parâmetro.

O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado, de forma que o resultado é definido da seguinte forma:

  • IMC menor que 18,5 kg/m²: magreza;
  • IMC entre 18,5 e 24,9 kg/m²: normal;
  • IMC entre 25,0 e 29,9 kg/m²: sobrepeso (obesidade grau I);
  • IMC entre 30,0 e 39,9 kg/m²: obesidade (grau II);
  • IMC maior do que 40,0 kg/m²: obesidade grave (grau III).

No Brasil, mais da metade da população está acima do peso e a obesidade atinge um a cada cinco brasileiros, segundo uma pesquisa divulgada em 2019 pelo Ministério da Saúde. 

As causas da obesidade podem incluir predisposição genética, hormonal, metabólica ou comportamental, mas também pode ser desenvolvida a partir de maus hábitos alimentares e sedentarismo.

A obesidade é considerada fator de risco para uma série de doenças e condições associadas, como:

  • Hipertensão;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Aumento do colesterol;
  • Aumento dos triglicérides;
  • Diabetes Mellitus tipo 2;
  • Câncer;
  • Apneia do sono;
  • Pedras na vesícula;
  • Entre outros.

Tratamentos para a obesidade além da cirurgia bariátrica

Para emagrecer, o paciente deve mudar seus hábitos alimentares e adotar a atividade física na sua rotina. Essa mudança de estilo de vida não é simples e exige muita determinação, força de vontade e acompanhamento profissional para perder peso e manter a saúde a longo prazo.

Para isso, é importante ter objetivos realistas e entender que a transformação não acontecerá de um dia para o outro. 

O paciente deve ter em mente que é preciso substituir os velhos hábitos por outros mais saudáveis e entender a importância desses novos costumes para sua saúde de maneira geral.

A cirurgia bariátrica é recomendada para pacientes com idade entre 18 e 65 anos, IMC igual ou superior a 40 kg/m², com ou sem comorbidades, ou IMC entre 35 e 40 kg/m² na presença de comorbidades. 

Além disso, o paciente deve apresentar IMC estável há 2 anos, no mínimo, e não ter obtido sucesso com outras formas de emagrecimento.

Para um tratamento eficiente, a reeducação alimentar é fundamental, pois o paciente reduz a ingestão calórica total e passa a consumir alimentos mais saudáveis, como frutas, verduras e legumes. 

Esse método também pode ser acompanhado de psicoterapia e outras formas de suporte emocional ou social para auxiliar o paciente a perder peso.

A realização de exercícios físicos é outro método de emagrecimento que deve ser integrado à rotina do paciente para complementar a dieta alimentar. 

Dessa forma, é possível reduzir o apetite, melhorar o perfil de gorduras e aumentar a sensação de bem-estar e autoestima.

Para combatê-la, é preciso que a obesidade seja reconhecida como uma doença crônica, e não apenas uma questão de vontade de emagrecer. Além disso, é preciso considerar o tratamento de outros problemas de saúde ligados à obesidade para melhorar a saúde do paciente como um todo.

O Hospital Marcelino Champagnat possui profissionais especialistas em Cirurgia Bariátrica e em diversas outras especialidades além de oferecer estrutura e tecnologia de ponta. É o único hospital do Paraná reconhecido pela Joint Commission International (JCI), a maior acreditação do mundo em qualidade e segurança assistencial.